Matéria

  • Home /
  • Coronavírus e a importância de entender por que x não é f(x)

Coronavírus e a importância de entender por que x não é f(x)

Coronavírus e a importância de entender por que x não é f(x)

Amigos leitores, na matéria de economia desta edição gostaria de abordar o assunto do momento nos noticiários econômicos: o Coronavírus. A ideia aqui não é realizar qualquer previsão sobre  impacto do Coronavírus sobre o Ibovespa ou alguma ação específica, mas sim compartilhar com você leitor informações que creio serem relevantes sobre o tema,  bem como uma ideia importante de um de meus autores favoritos, pois creio que, tanto as informações quanto a ideia podem ser de alguma valia para suas decisões de investimento no dia a dia.


Confesso que, desde que comecei a acompanhar o noticiário econômico, esse é o primeiro vírus de impacto global que acompanho. Com isso, procurei informações sobre os últimos vírus de relevância global, para tentar entender o possível impacto do Coronavírus sobre a economia global.


A verdade é que, em termos clínicos, como capacidade de transmissão e taxa de mortalidade, o Coronavírus não é muito diferente de outros vírus de repercussão global recentes (diga-se, gripe H1N1 e SARS). A principal diferença é a velocidade da informação na atualidade, e a importância da China para a economia global.


Provavelmente o maior impacto do vírus na economia real será a momentânea redução da demanda por conta das medidas preventivas contra a disseminação do vírus, com maior destaque para a redução do crescimento chinês, que vale ressaltar, é o principal parceiro comercial do Brasil. Contudo, a tendência é que essa “demanda reprimida” seja retomada assim que caiam as medidas preventivas.


Todavia, o mercado financeiro tende a apresentar movimentos mais rápidos e bruscos do que a economia real, ou seja, a queda do preço dos ativos financeiros é muito mais rápida e brusca do que o impacto econômico real do Coronavírus, mas essa queda tende a impactar as condições de liquidez e decisões de investimentos dos agentes econômicos. Ou seja, o impacto total do vírus dependerá muito da percepção dos agentes econômicos sobre o impacto do vírus sobre a economia global, e isso somente as próximas semanas dirão.


Ao meu ver, o impacto do Coronavírus já está bem precificado, dado que a queda nas bolsas de valores mundo afora já foi similar às piores semana da crise mundial de 2008, e os bancos centrais também se mostraram inclinados a evitar quedas mais bruscas através da política monetária.


A grande lição que gostaria de deixar para vocês leitores está no título da matéria, que se resume na função x ≠ f(x) . No nosso caso, o Coronavírus é x, enquanto os impactos do mesmo sobre seu portfolio de investimentos é f(x). Por mais que o impacto do vírus em termos sanitários ser similar a vírus anteriores, as transformações tecnológicas e econômicas desde então tornaram o impacto econômico do Corona vírus muito maior. Portanto, nas decisões de investimento, foque mais em entender f(x) do que x. Além de ser (normalmente) mais simples, é o que importa no fim das contas (e o que ajudará a pagar elas).

 

Alef H. Marcondes Dias
Economista graduado pela Universidade Estadual de Campinas

[email protected]
19 97124-2771

Tags: economia


Sobre o Autor

Adicionar comentário


Vinhedo, SP

Rua São Thomé, 58 Santa Claudina,
CEP 13.280-000

Número de Telefone

+55 (19) 3876-6989

Fampage